Budismo - Sangha Online
DÚVIDAS SOBRE O BUDISMO?

Registre-se e nos envie sua pergunta que talvez possamos ajuda-lo, independente de sua religião!
Todos são bem-vindos para dialogarem e pesquisarem aspectos do Budismo. Registrando-se você poderá enviar suas dúvidas particularmente à Administração ou à Comunidade, como exemplos:

No Budismo não podemos ter desejos?
Como o Buddha comia carne? E o vegetarianismo?
O Nirvana é o vazio? É eterno e é uma extinção do ser?
O que significa não-eu? O Budismo é niilista?
O que é prazer no Budismo? E paz interior?
Budismo crê em Devas, logo ele é Politeísta?
No Budismo nos isolamos? Como se relacionar com pessoas?
Como meditar? Budismo crê em super-poderes?!
Posso praticar sem crer no renascimento?
Budismo é religião ou filosofia? Por que há tanta idolatria?


Dialogue sobre essas e outras questões aqui.


Comunidade dedicada a simpatizantes e seguidores (de todas as escolas) do Budismo, visando à pesquisa e ao diálogo. Participe!
 
InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Se você já se registrou, apresente-se aqui e tire suas dúvidas sobre Budismo!
Registre-se para expor seus pontos de vista - isso independe de sua religião!
Bem-vindo
Bem-vindo ao Fórum Sangha Online!

Registre-se para dialogar com outras pessoas interessadas no Budismo e para ter acesso a todo o conteúdo para pesquisa sobre o mesmo.

Qualquer dúvida, ficaremos felizes em ajudar!
Últimos assuntos
» Grupo, sobre Budismo, no Whatsapp
por  matheus_ps
Ontem à(s) 0:26

» O Samsara
por  Erick
Qua 28 Jun 2017 - 12:46

» A Meditação e o Mosquito: Uma Reflexão Sobre Concentração e Virtude
por  Erick
Qua 28 Jun 2017 - 12:41

» A descrição de Arahants e Ariyas para Nirvana
por  Administrador
Dom 11 Jun 2017 - 8:07

» Bom dia - pergunta
por  Erick
Qui 1 Jun 2017 - 8:25

» Oferendas
por  Administrador
Sab 13 Maio 2017 - 13:54

» Meditação altera genes
por  Administrador
Sab 13 Maio 2017 - 13:16

» Sobre este Fórum: Fale sobre sua Experiência Meditativa
por  Administrador
Sab 13 Maio 2017 - 13:03

» Quem somos - Objetivos do Fórum
por  Administrador
Sab 13 Maio 2017 - 12:53

» Nova Tradição Kadampa [+Seita?]
por  Nyendrag Yeshe
Qua 10 Maio 2017 - 22:40

Geral
Quem somos
Regras Gerais
Apresente-se
Precisa de ajuda?
Por que Sangha Online?
O Básico do Budismo
Introdução ao Budismo
A Vida de Buda
Tire suas Dúvidas!
O que o Budismo não é
Como meditar
5 Preceitos para Virtude
Meditação altera genes
Dúvidas Frequentes
Budismo é religião?
Budismo é ateísta?
Como virar budista?
O que é Fé no Budismo?
Preciso ser vegetariano?
O que significa o Lótus?
Votação
Atualmente, qual preceito você tem mais dificuldade para manter?

 
Abstenção de matar intencionalmente.

 
Abstenção de tomar o que não foi dado (roubar).

 
Abstenção de conduta sexual imprópria.

 
Abstenção de linguagem incorreta.

 
Abstenção de tomar álcool e outros embriagantes.
Exibir resultados
Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum






Compartilhe | .
 

 A História de Mo e o Nobre Caminho Óctuplo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Administrador

Admin
avatar

Masculino
Local : SP
Define-se budista? : Sim
Mensagens : 472

Mensagem Seg 7 Out 2013 - 13:14

A história a seguir saiu da imaginação de Ajahn Brahmavamso, monge Theravada da Tradição das Florestas da Tailândia. Através de uma simples ilustração, ele resume a essência da prática budista, tomando como ponto central o Nobre Caminho Óctuplo cujos fatores são individualmente explicados de maneira sintética e prática.
De acordo com o que já li sobre esse monge, percebe-se que ele ilustrou a própria prática, dando ênfase aos fatores que ele vê como mais importantes ou mais complicados de compreender, sem contar na sua costumeira citação do desaparecimento de Cetana, o processo de capacidade de fazer escolhas, na entrada nos Jhanas, meditações de absorção profundas. Além disso, em alguns trechos ele fala de um ângulo de prática realmente monástica, enfatizando, como exemplo, o abandono da vida em família; ao passo que em outros trechos ele fala num aspecto laico, como no fator de Ação Correta, onde ele indica que não se deve cometer adultério.
Vários nomes mostrados na história são baseados em termos budistas do páli e sânscrito que são devidamente explicados ao final da página. Vale a pena conferir as explicações e reler a história novamente para compreender a essência da prática até a Iluminação.


A História de Mo
Texto retirado e traduzido do site Dhammaloka
Mo era um habitante de uma cadeia de segurança máxima chamada de Prisão Sausàra. Ela ficava envolvida em cinco paredes altas, cada uma com seu próprio sensor focado em Mo, e era impiedosamente governada por um guarda de prisão sádico que todos chamavam de Desejo. O guarda tirano dava ordens a Mo incessantemente, nunca permitindo que ele ficasse em paz, nem mesmo que dormisse. Mas Mo havia nascido naquela prisão, viveu sua vida inteira por lá e, portanto, não sabia de nada mais além daquilo. Ele até acreditava que o sentinela mandão, Desejo, era seu amigo e que ele poderia influenciá-lo de vez em quando.
Um dia, Mo descobriu um túnel em sua cela, logo onde ele sentava e sonhava acordado. O túnel era visivelmente antigo, porque ele possuía uma assinatura em alguma linguagem antiga que dizia: “Ariya Atthangika Magga”. O ex-presidiário que havia construído o túnel ainda havia riscado seu nome na pedra: “cavado por Zak Yamuni”. “Boa, Zak!”, pensou Mo.
Mo não ficou interessado no túnel de primeira. Por que escapar quando ele estava tão acostumado com a vida na prisão? Prisão Sausàra possuía um pátio de treinamento enorme chamado “Terra” que ele ainda não havia explorado completamente, ele possuía um bom trabalho gerenciando um negócio baseado na prisão e ele ainda tinha se casado com uma bela prisioneira feminina, chamada Carma Raga, que havia lhe dado três pequenos prisioneiros. Ele amava Carma, apesar de brigarem todos os dias.
Em um fim de semana, por curiosidade, Mo explorou os primeiros poucos metros do túnel e descobriu que lá era muito mais calmo e pacífico do que qualquer outro lugar que ele já havia conhecido antes. Assim, ele entrou para mais fundo e encontrou o livro-guia do túnel chamado Sutta Pitaka. O “pit” que era parte do nome pareceu, para Mo, que deveria ter alguma coisa a ver com túneis.
Primeiro: o guia do túnel dizia que você precisaria de Entendimento Correto, o que significa aceitar, mesmo que por fé, que a Prisão Sausàra é sofrimento. Ela é ruim. Além disso, qualquer um pode atravessar o túnel através de seus esforços hábeis (que o livro chamou Karma) para alcançar um lugar calmo chamado Nirvana, além das paredes de Sausàra.
Segundo: você necessita de Pensamento Correto. Isso significa que você tem que pensar em se desapegar, em deixar todas as coisas para trás, porque o túnel é muito estreito para se levar consigo qualquer pertence. Mo ficou perturbado porque o guia disse enfaticamente que ele não poderia levar sua esposa, Carma Raga, porque o túnel só era largo o suficiente para entrar sozinho. Além disso, você teria que ser gentil, porque “tuneleiros” nervosos bateriam suas cabeças no teto baixo e perderiam suas mentes. Em último lugar, você não poderia se mover violentamente, mas somente bem gentilmente, para que o guarda da prisão, Desejo, não impeça sua escapatória.
Terceiro: você precisaria de Linguagem Correta. O guia do túnel dizia que mentirosos, caluniadores, aqueles que falam rudemente e mesmo aqueles que fofocam perturbariam os ratos do túnel que o perseguiriam até você voltar para dentro de sua cela.
Quarto: Ação Correta seria necessária. Se você matar qualquer um - mesmo aqueles ratos - roubar ou cometer adultério, há cobras no túnel que ouviriam sobre isso e que não permitiriam que você passasse. Mesmo beber álcool ou usar drogas é proibido no túnel, visto que você seria apedrejado até que encontrasse a saída.
Quinto: Meio de Vida Correto é essencial. Pessoas que são trapaceiras nos negócios também tomarão atalhos errados no túnel.
Sexto: de acordo com o guia do túnel, Esforço Correto deve ser empregado. Algumas vezes você terá de trabalhar duro, em outras vezes apenas relaxar. Essa foi a instrução mais difícil para Mo compreender. Quando ele deveria se empenhar? Quando ele deveria se desapegar? Por meio da experiência, entretanto, ele logo pegou o jeito da coisa – significando que ora se esforçava, ora relaxava. Porém, parecia que quanto mais ele prosseguia ao longo do túnel, mais ele devia simplesmente sentar silenciosamente e não fazer nada. Isso era como estar em patins de rodas alinhadas descendo uma encosta íngreme – quando ele relaxava ele progredia, mas quando ele se esforçava e ficava tenso, então ele tombava.
Sétimo: Atenção Plena Correta era crucial. Ele tinha que manter sua lucidez sobre si mesmo no túnel. Sonhar acordado ou cochilar seria fatal para mais progressos. Ele tinha de manter sua atenção em um dos quatro pontos que o dirigiriam para fora do túnel – corpo, sensação, mente e objetos mentais. Consciência também significava que ele aprenderia rapidamente dos seus erros e os repetiria cada vez com menos frequência.
Oitavo: Concentração Correta era o mais importante de todos. Ele percebeu que quanto mais ele progredia ao longo do túnel, mais calmo ele devia ficar para manter o seu equilíbrio. Seu corpo tinha que sentar como uma estátua por horas, mas aquilo não era tão difícil. A parte difícil era manter sua mente silenciosa, tão silenciosa que o guarda da prisão, Desejo, não saberia até onde Mo havia ido. Quando quer que fosse que Mo perdesse tal concentração, Desejo, o guarda assustador da prisão, apareceria e colocaria Mo de volta na prisão.
A primeira vez em que Mo explorou o túnel, ele não foi muito longe, mas ele aproveitou. Quanto mais fundo ele ia ao longo daquela direção, mais feliz ele ficava. Logo, Mo havia aperfeiçoado as primeiras instruções para trilhar o caminho – ele possuía Entendimento, Pensamento, Linguagem, Ação e Meio de Vida Corretos. Ele também aprendera a como equilibrar seu Esforço, estava extremamente atento e focado, e ele aprendera a como se tornar realmente bem concentrado.
Logo, Mo viu a luz no final do túnel, o que o livro-guia chamava de Nimmita. Então, ele passou por cavernas maravilhosas e gloriosas chamadas as Quatro cavernas-jhana. Então, finalmente... Wow! Ele alcançou o final do túnel. Nirvana! Ele estava fora da prisão, enfim. Liberdade. Bem-aventurança. A Paz Suprema! Isso era fresco ao máximo! E, então, ele recebeu um novo nome. Formalmente chamado Mo Há, agora ele era Harry Hant.
Ariya Atthangika Magga – o Nobre Caminho Óctuplo
Samsara – perambulação contínua pelo Ciclo de Renascimentos
Carma Raga (geralmente grafado como kāma-rāga) – Desejo Sensual
Mo Ha (normalmente escrito como moha) – Delusão
Harry Hant (escrito corretamente como Arahant) – um Iluminado
Nimmita – a luz vista em meditação profunda logo antes do primeiro Jhana
As Cinco Paredes da Prisão representam os cinco sentidos: ver, ouvir, cheirar, saborear e tocar
O guarda da prisão esquisito e controlador, Desejo, representa cetana, o processo de intenção ou escolha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://sangha-online.forumeiros.com
Angely

Discípulos
avatar

Feminino
Define-se budista? : Sim
Mensagens : 29

Mensagem Seg 28 Out 2013 - 12:54

Adorei, obrigada por traduzir! 
Aliás, quero só colocar uma coisa, aí fala que entendimento correto é aceitar, mesmo que por fé, isso não vai contra os ensinamentos do Buda?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Administrador

Admin
avatar

Masculino
Local : SP
Define-se budista? : Sim
Mensagens : 472

Mensagem Seg 28 Out 2013 - 17:16

Angely escreveu:
aí fala que entendimento correto é aceitar, mesmo que por fé, isso não vai contra os ensinamentos do Buda?
Olá Angely! O conceito de Fé no Budismo é um pouco mais complexo do que costumamos conhecer. Para maiores explicações, leia: O equilíbrio entre a fé e a investigação no Budismo.
O que acontece é que podemos compreender os ensinamentos acerca do Samsara intelectualmente, mas isso ainda é um Entendimento superficial. Pode ser que você se convença de que devido ao Apego você esteja sofrendo, mas essa compreensão não te liberta do Apego! Isso é uma coisa muito comum no mundo.
Muitas pessoas vivem espalhando mensagens bonitas como "Viva como se não houvesse amanhã", mas elas não agem de acordo com o que compartilham. Isso é um entendimento superficial - acontece que o conhecimento intelectual não liberta ninguém do sofrimento. Somente quando a pessoa tenta abandonar seus apegos, mesmo que ela tenha que fazer um esforço para isso, é que ela realmente penetra a realidade dessas afirmações.
Então, quando compreendemos "Samsara é sofrimento" isso é intelectual. Talvez não seja tão superficial, pode ser um pouco profundo dependendo da pessoa e até mesmo de experiências em vidas passadas, de acordo com o Budismo. Mas ainda assim é superficial. Como não há essa compreensão aprofundada, basicamente isso funciona como uma Fé.
Só que não é uma Fé rígida e definitivamente estabelecida. É uma espécie de sentimento que te inclina a acreditar, não defender rigorosamente, uma determinada ideia. No link que te passei, eu ilustro isso como se fosse uma pessoa que te aconselha a fazer uma receita. Se a forma como os ingredientes são misturados e se o colega que te aconselhou são aparentemente confiáveis e lógicos do âmbito teórico, surge um sentimento de que você deveria tentar aquilo, porque aquilo faz sentido, correto? Só que você ainda não fez a receita, então isso ainda é Fé.
Mesmo um Ateu vive de fé. Ele vive por o que conhecimentos teóricos passados a ele parecem mais lógicos, mas ele não experienciou nada profundamente, de fato, para ter certeza do que ele pensa. Sem querer ofender a fé de teístas, mas a fé de um ateu só é uma fé "menos arraigada" do que a teísta, mas ainda é fé.
É por isso que o Nobre Caminho Óctuplo começa com Entendimento Correto, só que nós diferenciamos Entendimento de Sabedoria. Entendimento é essa compreensão superficial, basicamente embasada por lógica e teoria, e portanto pode ser apontada como uma fé, como um sentimento que te convida a experimentar aquilo na prática e coloca-lo a prova. À medida que aquilo se torna mais lógico, óbvio e especialmente experimentado, sua fé aumenta. Isso aprofunda aquele Entendimento, que começa a se transformar em Sabedoria - você começa a entender não só na teoria, mas também na prática o que o Buda disse. Quando realizamos o último conhecimento, não há mais a necessidade da fé, porque não há mais necessidade de um sentimento que nos incentive a testar algo que percebemos como lógico, visto que o compreendemos completamente. Nesse momento, Entendimento já foi usado e abandonado, porque o que resta então é apenas Sabedoria.
Ajudou? Feliz 
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://sangha-online.forumeiros.com
Angely

Discípulos
avatar

Feminino
Define-se budista? : Sim
Mensagens : 29

Mensagem Qua 30 Out 2013 - 15:58

Maravilhoso! Eu ja tinha lido esse texto comparando com fazer uma receita, mas não pensei assim quando li essa história do Mo. Ainda estou com um entendimento e memória superficial Risonho
Voltar ao Topo Ir em baixo
Mente Purificada

Discípulos
avatar

Masculino
Idade : 27
Local : Teresópolis - RJ
Define-se budista? : Sim
Mensagens : 88

Mensagem Qua 16 Jul 2014 - 13:36

adorei o texto! Só não entendi o que é ' as Quatro cavernas-jhana', não deveriam ser oito? Pois são quatro jhanas materiais e mais quatro imateriais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado



Mensagem

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

A História de Mo e o Nobre Caminho Óctuplo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
» As belas histórias dos PAPAS! (Santos Padres)
» Dudu Nobre teria traído Adriana Bombom com morena evangélica
» A história do Papado - O que está por trás...
» Histórico do Estado do Rio de Janeiro
» A Verdadeira História de Jesus Cristo - Contestado!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Budismo - Sangha Online :: Estudos teóricos sobre o Budismo :: 4 Nobres Verdades e o Nobre Caminho Óctuplo-